<p style="font-weight: 400;"><img style="float: left; border-width: 10px; margin: 10px;" src="/images/banners/white.png" width="234" height="74" /></p>


<p style="font-weight: 400;">Onde estou?” e “como vim parar aqui?” foram as primeiras perguntas que surgiram na mente confusa daquele jovem de aparentemente vinte anos. Era branco, com cabelos negros e olhos castanhos, vestia uma camisa branca e um short cinza, a roupa que normalmente usava para ir à praia.</p>


<p style="font-weight: 400;">Ele não conseguia ver nada na escuridão. Entendeu que estava na horizontal e tentou se mexer, mas percebeu que os pulsos e tornozelos estavam acorrentados, parecia que ele estava deitado sobre uma mesa de metal.</p>
<p style="font-weight: 400;">Estava tremendo por causa do frio que havia no local, o pânico começou a tomar conta do consciente que só encontrava perguntas sem respostas.</p>
<p style="font-weight: 400;">Pensou em gritar por socorro, mas, antes disso, conseguiu ver algum movimento na escuridão. Um arrepio percorreu sua espinha e ele ficou paralisado.</p>
<p style="font-weight: 400;">O vulto se aproximou num passo lento, a sombra se tornou uma loira de beleza escultural, vestida apenas com uma lingerie preta.</p>
<p style="font-weight: 400;">Ela se debruçou sobre ele e o beijou nos lábios. O seu corpo era quente, tinha um perfume adocicado e difícil de distinguir, quase nauseante. O pânico foi substituído por sentimentos menos desesperadores e mais quentes.</p>
<p style="font-weight: 400;">Ela sentou-se na barriga dele.</p>
<p style="font-weight: 400;">– O que está acontecendo? – Perguntou o jovem.</p>
<p style="font-weight: 400;">Mas ela nada respondeu. Pelo contrário, apenas ficou olhando o garoto. Havia algo de maligno naquele meio sorriso e seus olhos verdes pareciam lhe cortar a alma.</p>